domingo, 10 de junho de 2018

Casas e casas


Ultrapassada a má impressão que terem escondido a frigideira causou, as coisas por casa estão melhores. Nunca estiveram más mas não me sentia incluida. Não participava dos convívios deles. 

Mas já existiu uma excepção, estivemos todos juntos e foi bom.

Não me interpretem mal. Comparado à outra esta aqui é um paraíso.

Mais ainda porque os outros, da outra casa, ainda não me deixaram em paz.

semana sim, semana não, recebo emails da ex-senhoria com "problemas". 

Desta vez, inventou que furei a parede para instalar uma antena de TV. E tinha de lhe pagar por isso. 
Deve estar doida. Nunca fiz tal coisa. 

Assusta-me os estratagemas que encontram e os pretextos que inventam para me contactarem, sempre com o objectivo de extorquir dinheiro. Agora temo que, se me virem na rua, tentem seguir-me só para descobrir onde moro. Estão sempre a tentar que lhes dê o meu novo endereço. 

A maldade que vai no coração das pessoas faz com que sintam prazer em perseguir outras, em não as deixar em paz.

Já deixei aquele lugar faz três meses.
Já deviam ter-me esquecido.


3 comentários:

  1. Que bom que as coisas na casa melhoraram.
    Mau o que se passa com a outra casa.
    A senhoria devia ter visto o quarto quando o largou. Quem para lá foi pode ter feito o buraco e dizer que já lá estava.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira, é ainda pior. O buraco sempre lá esteve. O tipo que lá está a viver para 6 anos, sabe isso muito bem. Provavelmente até foi ele que o fez.

      Por isso a acusação é ainda mais revoltante. Pela malícia. Como tirei fotografias do espaço antes de o ter ocupado, pude provar que o buraco sempre lá esteve. A senhoria não pode negar então pediu "desculpas pelo equívoco".

      Mas primeiro acusou, ameaçou e exige dinheiro. Para a próxima ia inventa outra coisa qualquer.

      É triste que quem realmente andou a estragar a casa ainda lá esteja ou de lá saiu sem sequer ser pressionado a entregar dinheiro. Mas é a vida. Eu sabia, por instinto, que aquelas não eram boas pessoas, mas não se pode escolher sempre. Agora estou mais selectiva e tenho tido sorte com o tipo de pessoas que me aparecem pela frente. Bons ventos me têm levado até boas pessoas. E o que não presta está a cair.

      Desejo-lhe um bom fim de semana com uma excelente sardinhada acompanhada de uma boa salada de tomate. Deve estar-se bem em Portugal nesta altura dos Santos Populares :)
      Abraço

      Eliminar

Partilhe as suas experiências e sinta-se aliviado!