quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Não deixem morrer Charlie

Fez-me confusão que em menos de UM ANO, começasse a ver pelos pequenos media movimentos que, "cansados" da expressão "Je suis", decidiram ridicularizá-la. Para os que já esqueceram e para os que NUNCA ENTENDERAM o significado de «je suis charlie» e se cansaram com a repetição (tadinhos, atrapalhou os seus posts sobre roupa, e instagram weeks), aqui ficam uns desenhos. Pode ser que desta forma entendam.







Brilhante










UM LÁPIS, várias velas. Mensagem soberba!


  

O AMOR É MAIS FORTE QUE O ÓDIO
o perdão da redação Charlie Ebdo
ousadamente ilustrado com um simples beijo.

A maggie sempre foi a mais inteligente da família...



A liberdade é a MAIOR ARMA que as pessoas de paz têm contra o terrorismo. "Je suis Charlie" foi um momento especial de união global, representou um batalhão de gente armada com a paz a fazer frente aos senhores do terror. E todos, juntos, afirmaram: "Não temos medo". Coragem, determinação e união. Decerto deve ter colocado muitos terroristas a tremer nas pernas. Sim, porque não tenho dúvidas: os cobardes tremem.

Se Charlie morrer, morremos todos nós.
Pensem seriamente nisto.

4 comentários:

  1. Por mais excessos que o Charlie Ebdo cometa, e comete alguns, não se pode reagir assassinando os que lá trabalhando nem esquecendo o que se passou.
    Quando a Humanidade perde a memória caminhamos para um beco muito escuro e sem saída.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo!
      Temos de aprender ou nada mudará.

      Eliminar
  2. A revolta deverá ser mundial.
    O terrorismo deve ser combatido de todas as formas possíveis.

    ResponderEliminar

Partilhe as suas experiências e sinta-se aliviado!