segunda-feira, 5 de maio de 2014

Um puto abordou-me na rua e....

Fui abordada na rua por um puto que me pediu direcções. Depois ele deixou cair algo ao chão e como segurava uma bicicleta, baixei-me para apanhar o artigo e lho devolvi. Nisto afasto-me e retomo o que estava a fazer mas o puto não desgruda o olhar de mim. "Que miúdo mais estranho!"- pensei eu. A sério: ocorreu-me até que podia ser uma daquelas crianças serial killers (vi muitos programas do género só para explicar o raciocínio) tal foi o olhar fixo que me lançava.

Nisto chego a casa, relaxo e percebo que usei uma túnica com decote. Pronto! Acho  que consigo explicar a fixação do miúdo... Nunca pensei que 27 anos depois de ter dado um estalo no rosto de um puto que ousou dar um apalpão podia passar pela necessidade de ter de o fazer de novo.

Nunca na vida usei roupas com decote. Sempre tapadinha como uma freira. Abro uma excepção e... é isto. Mesmo com a gravidade a já dar uma ajudinha, ainda assim as ditas parece que sobressaem nos olhares alheios. De volta às t-shirts, eu vou, eu vou...

6 comentários:

  1. Olha o raio do puto! Também dificilmente me apanham com decotes, por essas e por outras (quais outras?)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As outras é quando a ousadia ultrapassa o olhar.

      Eliminar
  2. Verdade! Eu que sou uma distraída nessas coisas (não me passa pela cabeça que alguém repare em mim muito menos putos...) dou pela minha filha mais velha a avisar-me "Mãe, mãe cuidado ao baixares-te..."!??!?!?:)))))

    ResponderEliminar
  3. ahahah... Ás vezes acontece, mas não desistas já dos decotes, só é preciso um bocadinho de cuidado. :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei mas já existe tanta coisa com as quais uma pessoa precisa de estar alerta que mais uma para já dispenso :)

      Eliminar

Partilhe as suas experiências e sinta-se aliviado!